Blog
Leia diversos conteúdos de apoio da Conta-Mais

O que são derivativos?

Gosto muito de desmistificar a ideia de que a riqueza vem do dinheiro: na realidade, a riqueza vem da produção de coisas reais, com capital e pessoas reais. E é através do aumento da produtividade — capacidade de fazer mais com menos recursos — que uma economia se desenvolve.

No mercado financeiro, portanto, quando pensamos na valorização de ativos, em última instância, estamos falando de produção. Na outra ponta, alguém está captando recursos, multiplicando esses recursos através da produção e pagando juros sobre os recursos captados para os agentes superavitários.

No entanto, existe um conjunto de produtos financeiros que não promovem realmente a circulação de recursos de aplicadores para tomadores, estes são os famosos derivativos. Contratos derivativos são apostas de que alguma dada sequência de eventos terá lugar em um ou mais mercados, permitindo assim, a decomposição dos riscos. Veja bem, não estamos falando de eliminação de riscos, mas a ideia de que esses riscos sejam vendidos para quem julgue ser capaz de administrá-los com mais eficiência.

Existem diversos tipos de derivativos e, se pensarmos bem, nada mais são do que os “seguros” da economia. Sempre falo aos meus alunos que o importante de se estudar Mercado Financeiro e de Capitais é aprender a relação macroeconômica por trás desses mercados — inclusive na Conta-Mais você encontra diversas aulas importantes para entender as interações dos mercados. Isso porque produtos financeiros irão desaparecer e surgir simplesmente porque cumprem uma demanda específica. Onde haver a necessidade de proteção poderão ser criados novos derivativos. Mas a teoria econômica por trás dos fenômenos é a mesma.

Imagine um produtor que depende muito do preço do milho pois utiliza na sua produção. A depender de quanto o preço desse insumo possa subir, sua empresa pode até mesmo falir. Para evitar que esse risco seja grande demais, ele pode fazer um contrato de opções, por exemplo, que garanta um certo preço no futuro. Se o ativo subir, ele pode executar essa opção e comprar ao preço acordado. Se não, ele paga por ter tido essa segurança.

Esse foi um exemplo de opções, um tipo de derivativo muito importante. Existem também os contratos futuros que envolvem obrigações de entrega de determinado item a determinado preço, e muitos outros, específicos para cada necessidade.

E para você aprender ainda mais sobre os contratos futuros, te convido à conhecer as aulas gratuitas sobre o tema neste link aqui na Conta-Mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Conta-Mais foi criada para encurtar o seu caminho no mercado financeiro. Aprenda diversos temas de forma objetiva com profissionais experientes, tudo isso com a facilidade de um ambiente digital que pode ser acessado a qualquer hora e em qualquer lugar!

CNPJ: 33.372.732/0001-61 – CONTA-MAIS